domingo, 31 de agosto de 2008



Desejos Vãos

Eu queria ser o Mar de altivo porte
Que ri e canta, a vastidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa,
A pedra do caminho, rude e forte!


Eu queria ser o sol, a luz intensa
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a árvore tosca e densa
Que ri do mundo vão até da morte!


Mas o mar também chora de tristeza...
As árvores também, como quem reza,
Abrem, aos céus, os braços, como um crente!


E o sol altivo e forte, ao fim de um dia,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as pedras... essas... pisá-as toda a gente!...


Florbela Espanca

5 Comments:

Inside Me said...

oi garotooo, gostei do seu cantinho ^^ esse post, dá uma sensação boa, de liberdade, de poder! bjinhus da yzy

Ni ... said...

Moço...
Pra começar a música é deliciosa... os escritos nos fazem pensar...

Gostei muito daqui, parabéns!!

Beijo e mais beijos...

Adriano Veríssimo said...

Meu lindo ERMÃO!

Qto tempo não passo por aqui né?! Agora que voltei de férias prometo estar por aqui mais frequentemente...Estou com saudades de vc, do seu abraço, pois o pouco pra mim é tão pouco...rs...

Teu CANTO está recheado de sentimento hein!? Temos que conversar...hmmm...rs

Beijo lindão

te amo

vah...em minhas transições said...

...queremos ser tanta coisa, sonhamos tantas coisas...às vezes não dá...
obrigada pelo comentário,seu blog como sempre uma afago para corações "acelerados",
beijão
namastê
vah=)

Filipe Macedo said...

Obrigado a todos os comentários...com certeza fico surpreso e muito feliz a cada nova e importante visita! O amor é único, sublime...e devemos cultivá-lo...até florescer!

Bons ventos